Apoio à organização comunitária

Programa apoiou 45 projetos de associações comunitárias no Amazonas e Rondônia

 

A organização social das comunidades amazônicas é uma condição para a efetividade das políticas públicas e das ações voltadas para a conservação da floresta. Assim, a concepção e a implantação de um fundo de pequenos apoios voltado para as organizações comunitárias da região de influência da BR-319, nos estados do Amazonas e Rondônia, é uma das iniciativas mais promissoras no campo do desenvolvimento institucional da sociedade civil na Amazônia.

O Programa de Pequenos Apoios (PPA), que foi implementado no âmbito do Projeto de Fortalecimento Institucional das Unidades de Conservação (UCs) situadas na Área de Influência da BR-319, entre 2010 e 2012, teve como objetivo apoiar, através de um fundo de financiamento de projetos comunitários, a organização associativa das comunidades e suas participações nos conselhos gestores dessas UCs.

O PPA é resultado de um esforço coletivo que envolveu as equipes do IEB e de instituições parceiras como o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Pacto Amazônico (IPA), a Comissão Pastoral da Terra (CPT) e o Conselho Nacional das Populações Tradicionais (CNS), e que contou com o financiamento da Fundação Gordon e Betty Moore.

Durante três anos foram apoiados 45 projetos. Sistemas de governança do fundo, capacitações das instituições envolvidas, e monitoramento das ações foram construídos, colocados em teste, e adaptados.  O fundo contribuiu para a organização social na região e para o fortalecimento das suas associações comunitárias.

“O programa possibilitou a concretização de muitas iniciativas e  deu oportunidade das comunidades se estruturarem melhor, para as associações começarem a aprender a lidar com a gestão de recursos. Houve um aproveitamento das estruturas construídas e adquiridas com o fundo na vida cultural, religiosa e produtiva das comunidades”, explica Elza Suely Anderson, secretária executiva do PPA.              

As diversas oficinas de treinamento promoveram encontros com públicos diferentes possibilitando a troca de experiências. “Acreditamos que, por meio de ações formativas e de estruturação política interna, essas organizações poderão atingir os seus objetivos coletivos segundo as premissas da democracia participativa e da inclusão social”, afirma Ailton Dias, coordenador do programa e diretor técnico do IEB.

 

 

 

 

 

 

 

 







Comentários