Barcarena

Pré-Fórum de diálogo é lançado em Barcarena.

 

“Não tenhamos medo de ousar e desbravar o desconhecido”. Com essas palavras, Lindalva Melo finalizou seu pronunciamento durante o evento que efetivou a adesão da sociedade civil e do setor industrial de Barcarena durante a etapa preparatória da construção de um Fórum de Diálogo Intersetorial, lançado no dia 18 de abril, no âmbito dos projetos de fortalecimento institucional do IEB naquele município.

Lindalva integra a Associação das Mulheres do Campo e da Cidade, uma das 33 entidades da sociedade civil que assinaram um termo de adesão que propõe criar um sistema de governança disposto a enfrentar os impactos socioambientais a partir do diálogo em um espaço público. A proposta é inédita no município, por isso exigirá disposiçãoe ousadia dos participantes, como ressaltou Lindalva, em uma mesa composta por membros do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), Ajuda da Igreja Norueguesa (AIN) e empresa Hydro. 

 

Sustentabilidade

A programação no Hotel Equinócios, em Barcarena, reuniu mais de 100 participantes. A abertura teve a participação de Adriana Ramos, membro do Instituto Sócio Ambiental (ISA). Ela destacou aspectos conceituais e práticos da sustentabilidade, cujo exercício, segundo ela, não é totalmente exercido pelas instituições tradicionais. “Muitas vezes, nossas leis e a organização da sociedadenão dá conta dos parâmetros e dos desafios impostos pela sustentabilidade”, afirmou Adriana.

O evento marcou uma nova etapa na relação entre empresas, estado e comunidades. Por isso, Adriana também lembrou os caminhos para superar aslimitações. “É preciso inovar e o Fórum é uma ação criativa para lidar com desafios. É preciso que ele valorize a diversidade e que todos reconheçam que têm questões a solucionar”, disse a palestrante que integra o Fórum Amazônia Sustentável, uma iniciativa que propõe um diálogo amplo sobre Amazônia.

 

Diálogo

O Forúm de diálogo intersetorial em Barcarena é uma proposta do IEB juntamente com organizações locais.A diretora executiva do Instituto, Maria José Gontijo, lembrou o proposito dos trabalhos de capacitação e fortalecimento desenvolvido no município desde 2009. “Para nós [IEB] o espaço de dialogo requer conforto entre as partes. Preparar a sociedade civil para participar desse diálogo requer empodera-la [capacitar, preparar] para que os atores não se sintam ameaçados nessa interação”, explicou Gontijo. Ela destacou, ainda, seu desejo para as próximas etapas dos projetos. “Para o IEB, esse momento é como uma semente jogada no solo. Façamos da transparência e do diálogo nossas armas para garantir que o que estamos plantando possa florescer ”, finalizou.

Uma das organizações que acompanham e apoiam os projetos do IEB em Barcarena é a AIN, representada na ocasião por Arne Dale. A instituição busca fiscalizar as empresas de seu país em outros territórios, de modo que elas operem no mesmo padrão socioambiental exigidos na Noruega – local de origem da AIN.  “O processo de diálogo em Barcarena está avançando. Esperamos que este seja o início de uma melhor relação entre a sociedade civil e as indústrias. Nosso papel é facilitar o diálogo”,explicou Arne.

O diálogo, citado por Dale, é principalmente com a Hydro, acionista majoritária do complexo industrial Albras/ Alunorte. A multinacional norueguesa, referência na cadeia do alumínio, foi um dos signatários do termo de adesão ao Pré-fórum, etapa que definirá a estrutura e o funcionamento do Fórum de Diálogo Intersetorial. “A partir de agora começa um processo que vai demandar maturidade entre as partes, devido à diversidade de pontos de vistas. Vamos ter que construir esse processo juntos”, afirmou Cesar Vasconcelos, representando a Hydro.   

 

Saldo

Ao todo, foram 40 signatários representando, principalmente, empresas e sociedade civil. Eles se propuseram a debater o funcionamento de um espaço público de participação, com um debate acessível às comunidades, tirando-o do âmbito exclusivo do setor privado, das instituições de Estado, ou mesmo de grupos muito restritos da sociedade civil; ou seja, ousar e enfrentar um diálogo entre atores de um mesmo território, porém com realidades e objetivos distintos.   

 

Apoio

Os projetos em Barcarena desenvolvidos pelo IEB são executados com o apoio do Ministério Público Estadual (TAC – MPE,PA/IMERYS), UniãoEuropeia e AIN.







Comentários