Cooperativa Mista Flona Tapajós é recomendada para certificação FSC

A certificação terá grande impacto para o manejo florestal comunitário no Pará.

Após análise de documentos, entrevistas e observações, o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) concluiu por recomendar a Cooperativa Mista Flona Tapajós (Coomflona), em Belterra, Pará, para a certificação FSC 100% comunitário. A decisão foi tomada após uma auditoria, realizada entre os dias 02 e 06 de setembro, e terá grande impacto para o manejo florestal comunitário no Pará, na região amazônica e no mercado de madeiras tropicais.

O selo de certificação FSC 100% comunitário abre as portas para exportação, além de representar um diferencial no mercado e uma aceitação maior do consumidor. Segundo a Coordenadora de projetos do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), Katia Carvalheiro, em toda a Amazônia, o Manejo Florestal Comunitário Familiar madeireiro com certificação FSC só existia no Acre.

“Esse certificado é um desafio muito grande para os comunitários devido à fragilidade e ausência de políticas governamentais para o manejo florestal comunitário. Por isso, essa certificação para a Coomflona representa um esforço muito grande da cooperativa e de seus parceiros, mostrando que o manejo florestal comunitário não somente é possível, mas é também viável; gera renda e emprego aos comunitários da Flona”, explica a coordenadora.

O escopo da certificação abrangeu a Unidade de Manejo Florestal da Coomflona e sua serraria portátil. O grupo de auditores, formado por quatro profissionais, analisou os aspectos sociais, ambientais e econômicos, avaliando os nove Princípios FSC no padrão Slimf (em inglês, Small and Low Intensity Managed Forests) que é adotado para comunitários.

A análise foi feita através de entrevistas a instituições relacionadas ao empreendimento, como Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai) e Ministério Público Federal (MPF). Foram entrevistados também cooperados e famílias da Flona Tapajós, da área do entorno e da Terra indígena.

Além dos produtos madeireiros, a Coomflona maneja outras seis espécies de produtos da sociobiodiversidade, como seringueira, copaíba e andiroba, sendo que estas espécies são de uso múltiplo e não são manejadas para madeira, mesmo que permitido por lei. Alguns destes produtos devem entrar no escopo da certificação no próximo ano.

A certificação FSC é um sistema de garantia internacionalmente reconhecido, que identifica, através de sua logomarca, produtos madeireiros e não madeireiros originados do bom manejo florestal, garantindo que a floresta seja manejada de forma responsável e de acordo com os princípios e critérios da certificação FSC.







Comentários