Cosme Capistano, da Comissão Pastoral da Terra (CPT), está ameaçado de morte em Boca do Acre-AM

Dois homens ficaram de tocaia em sua casa enquanto ele participava de uma reunião em Manaus
Foto: Letícia Freire/IEB
Foto: Letícia Freire/IEB

Umas das lideranças de maior expressão do Amazonas, Cosme Capistano da Silva, agente da Comissão Pastoral da Terra (CPT) do município de Boca do Acre, está sob ameaça de morte. O clima de tensão aumentou nos últimos dias quando dois homens circulando em uma moto estiveram rondando sua casa localizada na periferia do município. Os vizinhos estranharam a movimentação e avisaram a família de Cosme, que se encontrava em Manaus participando de reuniões sobre a regularização fundiária em Boca do Acre.

Segundo testemunhas, essa foi a segunda vez que esses homens apareceram por lá. A família esta bastante assustada e a Polícia Militar de Boca do Acre foi informada da situação. “Os vizinhos estão com medo de dar informações porque estão preocupados em sofrer represálias”, afirmou Cosme.

Cosme sofre ameaças desde 2009 e em julho deste ano foi ameaçado por dois fazendeiros. “Tem que redobrar o cuidado porque começou assim com os outros companheiros que tombaram”, lembra. Ele entregou uma carta denunciando as ameaças sofridas para o Ministério Público Federal (MPF) e a Secretaria dos Direitos Humanos, em Manaus.  

Os motivos das ameaças são os trabalhos que Cosme desenvolve junto a comunidades rurais pobres de Boca do Acre, muitas das quais estão lutando por regularizar suas posses ou se encontram em conflitos com fazendeiros e grileiros de terras.







Comentários