CSF apresenta estudo “Análise Custo-benefício

A Conservação Estratégica do Brasil (CSF), membro do consórcio Fortis, apresentou recentemente os resultados do estudo “Análise Custo-benefício da recuperação da Rodovia BR-319”

CSF apresenta estudo “Análise Custo-benefício
da recuperação da Rodovia BR-319”


A Conservação Estratégica do Brasil (CSF), membro do consórcio Fortis, apresentou recentemente os resultados do estudo “Análise Custo-benefício da recuperação da Rodovia BR-319”. Os eventos de apresentação ocorreram em Humaitá (14/04) e Manaus (15/04) e tiveram por objetivo fornecer informações qualificadas para a sociedade sobre a relação entre os benefícios e os custos ambientais e econômicos da obra. Os eventos de apresentação também são prévios à realização das audiências públicas oficiais sobre a BR 319 previstas para ocorrer na segunda quinzena de abril.

A recuperação da Rodovia BR 319 é apontada como um projeto estratégico no sentido de garantir a integração do Estado do Amazonas com outras regiões do país por via terrestre, redução dos custos de transporte e o melhor acesso da população do interior do Amazonas à capital do Estado.

Mas, a exemplo de outras estradas construídas na Amazônia, a pavimentação da BR 319 deve gerar pesados custos sociais e ambientais na forma ocupação desordenada da região, aumento dos gastos públicos municipais para atender ao aumento da demanda por serviços, aumento dos conflitos sociais e dos índices de violência, desmatamento e esgotamento dos recursos naturais, entre outros.

Os efeitos diversos do projeto de recuperação da Rodovia BR-319 precisam ser bem identificados. Instrumentos que garantam uma distribuição mais equilibrada dos custos e benefícios entre as várias partes afetadas precisam ser implantados.

A Análise Custo-benefício (ACB) visa contribuir com o debate dessas questões incorporando os custos ambientais e estimando os riscos econômicos relacionados ao projeto. Adicionalmente, estimamos os custos básicos de implementação das Unidades de Conservação afetadas pelo projeto que seriam necessários para compensar danos ambientais causados pela pavimentação da rodovia.

Os eventos de apresentação do estudo ocorreram no Salão Paroquial São José, em Humaitá, e no Hotel Adrianópolis, em Manaus e foram organizados por meio de uma colaboração entre a equipe do IEB/Fortis e o CSF.







Comentários