Curso de Ativismo e Mobilização chega ao Brasil, combinando plataforma online com períodos de imersão

Iniciativa inédita no país quer enfrentar o desafio de ir além do computador e levar pessoas às ruas com estratégias de mobilização criativas e eficazes. A crise que nós geramos, marcada pelo aquecimento global, demanda que a humanidade mude sua ...

Iniciativa inédita no país quer enfrentar o desafio de ir além do computador e levar pessoas às ruas com estratégias de mobilização criativas e eficazes.

A crise que nós geramos, marcada pelo aquecimento global, demanda que a humanidade mude sua relação com o planeta e com todas as formas de vida. Pensando nisso, um grupo independente lançou uma iniciativa nacional de educação continuada para mobilizar pessoas a serem agentes de transformação em favor da sustentabilidade.

A proposta do curso Ativismo e Mobilização para a Sustentabilidade (www.ativismo.org.br) é investir na formação de ativistas, através da criação e desenvolvimento de campanhas públicas, estratégias de ação e uso de técnicas e ferramentas de comunicação e mobilização. Entre agosto e dezembro, serão abertas turmas, com etapas de educação online e encontros presenciais em São Paulo, Brasília e Manaus.

“O Brasil está passando por um momento político bastante delicado, com tentativas de enfraquecimento da legislação ambiental e a continuidade de políticas públicas e investimentos que agravam as mudanças climáticas e seus impactos, reforçando a posição do Brasil entre os cinco maiores poluidores do mundo”, diz o engenheiro florestal Marcelo Marquesini, ex-Greenpeace e um dos porta-vozes do grupo. “Há, hoje, um grupo cada vez maior de indivíduos que não aceita se resignar diante de tantos problemas socioambientais emergentes. E existem alternativas e soluções possíveis de serem implementadas. Nossa iniciativa visa estimular e criar a pressão social necessária para que as mudanças rumo a uma sociedade mais justa e sustentável aconteçam o mais breve possível”.

O projeto recebe apoio na forma de “adoção” de alunos. Treze instituições já confirmaram apoio: Amigos da Terra Amazônia Brasileira, Fundação SOS Mata Atlântica, Greenpeace, ICV - Instituto Centro de Vida, IDESAM - Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, IDS - Instituto Democracia e Sustentabilidade, IEB - Instituto Internacional de Educação do Brasil, IMAFLORA - Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola, IMAS - Instituto Marina Silva, Instituto 5 Elementos, OCA – Laboratório de Educação e Política Ambiental da ESALQ/USP, OELA - Oficina Escola de Lutheria da Amazonia eCineclube Socioambiental Crisantempo.

O rápido avanço da internet amplia as formas de comunicar e de ensinar. Apesar da popularidade das campanhas online, a iniciativa pretende enfrentar o desafio de ir além do computador e levar as pessoas às ruas para exercitar sua cidadania com soluções de mobilização criativas e eficazes.

Outro foco do curso é promover uma rede de ação entre os diversos atores e instituições envolvidas com a causa.A falta de interação interinstitucional é um dos principais obstáculos para a promoção de processos locais que agreguem ativismo, desenvolvimento e sustentabilidade. Por isso o próximo passo da iniciativa é que, em 2012, entre em cena uma Escola-Rede, sem fins lucrativos, formada por entidades e indivíduos aptos na prática do ensino voltado à mobilização e ao engajamento pela sustentabilidade. “Tal projeto requer uma abordagem holística, demandando capacidades e recursos raramente encontrados numa única instituição ou indivíduo”, explica Marquesini.


O prazo de inscrição para o primeiro curso (com imersão em São Paulo) vai de 29 de julho até 9 de agosto de 2011.
A divulgação do resultado do processo seletivo para o primeiro curso será feita no dia 15 de agosto de 2011, no site www.ativismo.org.br.

Mais informações e inscrições:
Mauro Soares Pereira: (11) 9847-3733
suporte@ativismo.org.br







Comentários