Curso de ativismo para a sustentabilidade chega a Brasília

Nesta sexta-feira (30) encerram-se as inscrições para a segunda edição do “Curso de ativismo para a sustentabilidade”, que acontecerá em Brasília.

Fonte: Marcelo Marquesini

Participantes aprenderão estratégias de mobilização criativas e eficazes
clique aqui e assista ao video da campanha

Nesta sexta-feira (30) encerram-se as inscrições para a segunda edição do “Curso de ativismo para a sustentabilidade”, que acontecerá em Brasília. Os interessados devem preencher a ficha de inscrição em www.ativismo.org.br/inscricao . Eles podem concorrer a bolsas que cobrem de 50% a 100% do valor do curso.

A formação tem duração de oito semanas, sendo uma presencial e sete à distância. Ela é iniciativa de um grupo independente, empenhado em difundir conceitos e técnicas úteis para que as pessoas sejam agentes de transformação em favor da sustentabilidade. A proposta é investir na formação de ativistas, através da criação e desenvolvimento de campanhas públicas, estratégias de ação e uso de técnicas e ferramentas de comunicação e mobilização.

A primeira turma do curso iniciou a formação no dia 22 de agosto, com debates e exercícios online sobre sustentabilidade, não-violência e ativismo contemporâneo. Entre os dias 11 e 18 de setembro, os 26 participantes se reuniram em São Paulo, em uma intensa semana de imersão. Personalidades nacionais que apóiam o “Curso de ativismo para a sustentabilidade” estiveram presentes, como Marina Silva, os professores Ricardo Abramovay, Marcos Sorrentino e o procurador da República Felício Pontes. Esta etapa presencial foi encerrada com uma ação de rua em uma feira livre da capital paulista.

“O Brasil está passando por um momento político bastante delicado, com tentativas de enfraquecimento da legislação ambiental e a continuidade de políticas públicas e investimentos que agravam as mudanças climáticas e seus impactos, reforçando a posição do país entre os cinco maiores poluidores do mundo”, avaliou Marcelo Marquesini, engenheiro florestal e um dos porta-vozes do grupo. “Há, hoje, um grupo cada vez maior de indivíduos que não aceita se resignar diante de tantos problemas socioambientais emergentes. Nossa iniciativa visa estimular e criar a pressão social necessária para que as mudanças rumo à uma sociedade mais justa e sustentável aconteçam o mais breve possível”, completou Cassio Martinho.

O projeto recebe apoio na forma de “adoção” de alunos, o que permite viabilizar as bolsas de estudo. Entre as instituições parceiras estão: Amigos da Terra Amazônia Brasileira, Fundação SOS Mata Atlântica, Greenpeace, ICV - Instituto Centro de Vida, IDESAM - Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, IDS - Instituto Democracia e Sustentabilidade, IEB - Instituto Internacional de Educação do Brasil, IMAFLORA - Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola, IMAS - Instituto Marina Silva, Instituto 5 Elementos, OCA – Laboratório de Educação e Política Ambiental da ESALQ/USP, OELA - Oficina Escola de Lutheria da Amazônia, Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e Cineclube Socioambiental Crisantempo.

O projeto também está aberto a apoio no Catarse, uma plataforma de financiamento colaborativo. Qualquer pessoa pode apoiar: http://catarse.me/pt/projects/364-curso-de-ativismo-para-sustentabilidade#about

Mais informações sobre a iniciativa: Marcelo Marquesini: (11) 6347-0896
Mais informações sobre inscrições e os cursos: suporte@ativismo.org.br







Comentários