Encontro de parceiros

Guias e condutores da Chapada dos Veadeiros buscam o diálogo

O “Primeiro encontro de guias e condutores da Chapada dos Veadeiros” foi realizado nos dias 17 e 18 de fevereiro com o objetivo de colaborar na promoção de espaços de diálogo qualificado entre as associações locais que atuam no turismo do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e outros atores locais. O encontro aconteceu no distrito de São Jorge, município de Alto Paraíso de Goiás, Goiás.

Estiveram presentes representantes das associações locais de São Jorge, Alto Paraíso, Cavalcante e Teresina, do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e da sociedade civil. As discussões foram focadas nas relações entre as associações, os guias e condutores locais e os diversos atrativos da região, em especial o Parque Nacional.

“O fato de esses atores sociais estarem dispostos a sentar e dialogar já permite que soluções aos desafios comuns surjam também entre eles. Faz algum tempo que não acontecia na região um momento de diálogo aberto, horizontal e bem informado entre as associações locais, os donos de atrativos, o Parque Nacional e outros órgãos públicos como prefeituras, secretarias e a sociedade civil”, explica Leonardo Hasenclever, coordenador técnico do Projeto Chapada dos Veadeiros.

Foram identificados alguns pontos comuns de desafio no âmbito das relações de trabalho, direitos, deveres e acordos ou divergência entre as associações locais representadas, autoridades públicas e sociedade civil. No final, eles encaminharam a realização do segundo encontro com a pauta fundamentada nas necessidades identificadas de mais discussão qualificada acerca da situação atual de estrutura interna bem como das relações externas entre as associações locais.

“Enquanto essas pessoas se dispuserem a estar juntas, dialogando e encontrando as soluções para seus desafios, a paisagem - social e natural - do território da Chapada dos Veadeiros se beneficiará de atores sociais mais bem informados e, por isso, capazes de exercerem melhor seus papeis de cidadãos naquele território”, conclui Leonardo Hasenclever.







Comentários