Fórum de diálogo é lançado em Barcarena

Empresas, poder público e sociedade civil aderiram ao diálogo
Abertura do lançamento com a mesa de autoridades formada por representantes da sociedade civil, empresas, prefeitura de Barcarena e IEB

A manhã da última sexta-feira (14/03) marcou um momento importante para a sociedade de Barcarena, com o lançamento de uma parceria inédita entre os setores público, privado e as organizações sociais do município. Trata-se do Fórum de Diálogo Intersetorial de Barcarena, uma iniciativa que favorece a abertura de um espaço para debates e ideias inovadoras em busca da construção de um modelo de desenvolvimento sustentável no município.

A iniciativa reúne organizações da sociedade civil, as empresas do grupo Hydro instaladas na região (Albras, Hydro Alunorte e projeto CAP), Prefeitura Municipal de Barcarena e, ainda, o Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e o Ministério Público do Estado do Pará (MPE- PA) - ambos na condição de mediadores.

Disposição para o diálogo

O evento contou com a presença de cerca de 150 pessoas. O ponto alto foi a assinatura de representantes dos diferentes segmentos à Carta-Compromisso do Fórum, marcando assim sua adesão ao mesmo. “Iniciamos aqui a oportunidade de fazer diferente e construir juntos o futuro de Barcarena”, ressaltou Maura Moraes, coordenadora de projetos do IEB. “A adesão é totalmente voluntária, o que demonstra a vontade e disponibilidade para trabalharmos em prol de benefícios coletivos”, destacou.

Aproximadamente 40 entidades da sociedade civil aderiram à iniciativa, entre associações, centros comunitários e sindicatos. O gestor público municipal, através do prefeito Antônio Carlos Vilaça, também assinou a carta, juntamente com as empresas do grupo Hydro instaladas na região (Albras, Hydro Alunorte e projeto CAP), assim como a prestadora de serviços Águas de São Francisco e a Associação dos Empresários de Barcarena (Asseb).

“O Fórum possibilita que diferentes setores da sociedade trabalhem em conjunto para alcançar um objetivo comum. O diálogo que foi criado aqui é uma forma de parar de falar em transparência e ser transparente, debatendo abertamente as demandas de Barcarena”, observou Alberto Fabrini, vice-presidente sênior de operações da Hydro. Para Magali Campos, presidente da Associação de Trabalhadores Feirantes de Barcarena, “A possibilidade de ter uma ação coletiva como essa fez com que as associações saíssem daquela situação de só buscar benefícios para si próprias e nos levou a pensar juntos em prol de um projeto para o município. Acredito que esse é o nosso maior ganho, crescemos juntos”.

O promotor do Ministério Público de Barcarena, Daniel Azevedo, ressaltou a importância de unir forças para implantar melhorias no município. “Esta é a concretização de algo que foi planejado há muito tempo. O papel do MP será de organizar as estratégias a partir do recebimento de informações mais detalhadas”, disse ele. Alberto Góes, secretário de Planejamento da Prefeitura Municipal, se mostrou disponível para fortalecer a proposta. “Teremos oportunidades de observar as ações de governo, as necessidades da sociedade e trazer à tona assuntos que poderiam passar despercebidos pelo poder público”, explicou.

Próximos passos

 A assinatura da carta-compromisso foi o lançamento oficial do Fórum. Agora, as atividades seguem com a realização da primeira plenária dos associados para instituir uma comissão executiva, responsável pela coordenação de todas as ações do grupo. Após essa definição, o corpo diretivo fará reuniões constantes para definir temas e ações prioritários para o município.

No final do ano, deve acontecer uma plenária anual de prestação de contas com a sociedade barcarenense, para apresentar os resultados iniciais do Fórum. Por ser uma instância totalmente voluntária, a expectativa é de que outros parceiros da região se juntem à causa, como empresas, instituições não governamentais e instituições públicas.

Apoio e desafio

O Fórum em Barcarena é resultado de mais de cinco anos de atuação do IEB no município. As ações de fortalecimento institucional desenvolvidas com o apoio da ONG foram iniciadas a partir de dois projetos. O primeiro deles, denominado “Desenvolvimento da Capacidade Social de Barcarena”, foi implementado de 2008 a 2013 e financiado com recursos de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), instituído entre o MPE-PA e a empresa Imerys Rio Capim Caulim.

O segundo projeto, Fortalecimento Institucional de Barcarena, foi desenvolvido entre 2010 e 2013, com recursos da Comissão Europeia.  Recentemente a atuação do IEB tem sido apoiada pelo ONG Ajuda da Igreja Norueguesa (AIN). Os resultados desses dois projetos podem ser acessados no livro “Fortalecimento Institucional e Criação de Espaço Público: Sistematização da Experiência em Barcarena, Pará”, lançado durante o evento. A publicação destaca a trajetória de construção do Fórum a partir dos diferentes atores sociais envolvidos com as atividades do Instituto no município.

Para o IEB, o momento é de otimismo, mas também de reflexão sobre os desafios que esta experiência terá pela frente. “A consolidação do Fórum em uma instância onde de fato haja o exercício do controle social dependerá da capacidade de mobilização da sociedade civil, e de seu esforço para superar as diferenças e conseguir atuar de forma coletiva”, lembrou Maura Moraes.

Independente do desafio o Instituto está disposto a continuar apoiando a iniciativa que ajudou a construir. “Estamos assumindo o compromisso de fazer juntos e de fazer diferente. O IEB se compromete a continuar a fazer a sua parte para a continuidade dos trabalhos, agora em um Fórum muito mais diverso”, destacou Maria José Gontijo, diretora-executiva do IEB. 







Comentários