IEB inicia projeto no Amapá

Atuação busca fortalecer agenda socioambiental do estado
 Coordenadora da Rede das Associações das Escolas Família do Amapá (Raefap), Maria Miranda, e o coordenador do escritório do IEB em Belém, Manuel Amaral, assinam Termo de Cooperação.

O Instituto Internacional de Educação do Brasil assinou ontem (25), em Macapá, o Termo de Cooperação com a Rede das Associações das Escolas Família do Amapá (Raefap), com o proposito de facilitar a implantação de ações que favorecem a educação no campo naquele estado. O documento foi assinado na sede da Raefap pelo coordenador do escritório do IEB em Belém, Manuel Amaral, e pela Coordenadora da Rede, Maria Miranda.

Entre as ações que serão realizadas pelo IEB junto às escolas familiares estão um diagnóstico organizacional, um programa de formação de monitores e gestores e a criação de um fundo para apoiar projetos socioambientais, chamado de "Fundo Amapá de Saberes".

As ações integram o projeto “Fortalecimento Institucional das Organizações da Sociedade Civil com foco na Iniciativa Amapá”, desenvolvido com o apoio do Fundo Vale. A nova empreitada do IEB naquele estado será coordenada por Ruth Corrêa. A proposta é qualificar os processos locais de articulação e desenvolvimento institucional. “Vamos levar para o Amapá as expertises acumuladas em outros territórios de nossa atuação para fortalecer a constituição e a implementação de uma agenda socioambiental no estado, junto com as organizações locais”, explicou Amaral.

Contexto

O trabalho do IEB será desenvolvido em meio a dois movimentos importantes que tem fomentado o debate de uma agenda socioambiental no Amapá.  O primeiro é a implementação da Lei de Gestão de florestas Públicas que descentraliza a gestão florestal, transferindo aos Estados e Municípios competências e atribuições específicas de governança florestal. E o outro, é a estruturação da Iniciativa Amapá, uma articulação do Governo Estadual com organizações não-governamentais que tem a premissa de alavancar uma agenda de desenvolvimento sustentável no estado.







Comentários