IEB lança fundo de apoio para agricultura familiar em São Félix do Xingu, PA

Entrega das propostas até 30 de março.

 

O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) promoveu nos dias 05 e 06 de março, em São Félix do Xingu, sudeste do Pará, o curso “Elaboração de Pequenos Projetos Socioambientais” que abordou os critérios e a forma de acesso ao processo seletivo do Fundo Xingu Sustentável, lançado no segundo dia do evento (06).

A oficina reuniu cerca de 50 representantes de associações e comunidades do município, além de técnicos de organizações locais que fazem parte do Comitê Executivo Gestão, Deliberação e Monitoramento do Fundo. As atividades foram conduzidas pela especialista em gestão de organizações não governamentais, Maria Antônia Nascimento que foi apoiada pela coordenadora de projetos do IEB, Ruth Corrêa.  Elas esclareceram dúvidas acerca do edital e realizaram trabalhos em grupo, simulando a elaboração de um projeto, baseado no roteiro sugerido no edital Fundo Xingu Sustentável.


Para o representante da Associação de Moradores de Novo Planalto, Clidemar Brito, elaborar uma proposta para um fundo não é tarefa das mais fáceis, contudo após o curso ele avalia que tem maiores condições de superar as dificuldades. “Não é impossível elaborar um projeto. Tivemos dois dias de curso e eles descortinaram um cenário que não estava claro. Hoje, tenho mais uma visão para fazer um projeto”, comenta Clidemar que viajou 180 quilômetros de moto para chegar ao curso.


Ao longo da oficina foram lembrados os objetivos do Fundo Xingu Sustentável. Um deles é a possibilidade de experimentação produtiva que pode favorecer o acesso a outras fontes de financiamento. “Essa ação vai gerar aprendizado. Após o produtor estar convencido que sua ideia foi bem sucedida, ele tem a opção de procurar as agencias de financiamentos oficinais (bancos) e solicitar crédito, porque ele comprovou que aquele projeto deu certo e o ajudará a gerar renda”, esclarece Ruth.

Ao final do mês de março, membros do comitê de gestão, deliberação e monitoramento do Fundo Xingu Sustentável irão disponibilizar plantões de apoio técnico para agricultores. O objetivo é ajuda-los a digitar suas propostas e também esclarecer dúvidas sobre alguns itens dos seus projetos. 


LANÇAMENTO

No dia 06 de março, os participantes da oficina de Elaboração de Pequenos Projetos Socioambientais prestigiaram o lançamento do Fundo Xingu Sustentável, uma iniciativa do projeto Xingu Ambiente Sustentável (XAS), desenvolvido desde 2009 pelo IEB em parceria com a Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Alto Xingu (Adafax), com apoio do Fundo Vale.

O evento teve a presença de representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Secretaria de Produção de São Félix do Xingu, Secretaria de Meio Ambiente do Pará (Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de São Félix do Xingu.

Em discurso, o secretário de produção do município, Denimar Rodrigues, elogiou a proposta do Fundo Xingu Sustentável e lembrou que essa é mais uma iniciativa que ajudará a resolução dos problemas ambientais no município. “É louvável essa ação. São essas parcerias positivas que vão nos ajudar a tirar o município do embargo e a reduzir o desmatamento”, lembrou o secretário. 

Celma Oliveira, integrante do comitê executivo do Fundo,destacou o caráter inédito dessa ação que integra o projeto XAS. “É a primeira experiência de um Fundo que apoia financeiramente a agricultura familiar, em São Félix do Xingu,”, disse Celma. Para ela, essa é uma chance que os agricultores não podem desprezar. “Quando tivermos outra oportunidade ela pode não ser para esses agricultores. A nossa chance de concorrer e participar pode ser menor”, alertou Oliveira que integra a equipe da Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Alto Xingu (Adafax).

O representante do projeto Pacto Xingu, desenvolvido pelo MMA, Marco Aurélio,  destacou o processo de criação do Fundo. “Tive a oportunidade de participar das reuniões que elaboraram do Fundo Xingu Sustentável. Ele foi criado por diversas instituições e todos aqui têm as mesmas condições de submeter e ter um projeto aprovado”, disse Aurélio, incentivando os presentes a inscrever suas propostas de apoio financeiro.

Para Ruth, os resultados do Fundo devem ser acompanhados de outras ações de agentes públicos. “O projeto XAS é uma gota em um mar de desafios. Nós precisamos articular políticas públicas, porque muitas das ações necessárias para redução do desmatamento estão fora do alcance do projeto. O estado precisa estar presente com ações estruturantes no município para alcançar a sustentabilidade”, destacou.







Comentários