IEB lança Fundo de Pequenos Projetos Socioambientais no Amapá

Propostas podem ser enviadas até 30 de abril

No dia 06 de abril, o Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), com apoio do Fundo Vale, lançou em Macapá (AP), o edital do “Fundo de Pequenos Projetos Socioambientais”. A iniciativa tem o objetivo de apoiar projetos comunitários que incentivem o desenvolvimento de agriculturas sustentáveis de base agroecológica e agroextrativista, de forma a contribuir para a conservação ambiental do estado.

Com mais de 40 participantes, dentre representantes de instituições governamentais e sociedade civil, o lançamento foi marcado pela troca de experiências e pela contribuição à temática por todos os presentes. O esforço dispensado ao Fundo de Pequenos Projetos tinha um propósito claro, bastava olhar pela janela e observar o verde que pinta o estado do Amapá. Paulo Rocha, presidente do Conselho Comunitário do Bailique (CCB), resume esse propósito: “Está vendo a natureza pela cidade? Estamos aqui para que ela continue existindo”.

Segundo a coordenadora de projetos do IEB, Ruth Correa, embora o Amapá apresente 90% do território conservado e uma rica biodiversidade, encontra-se ameaçado por atividades predatórias, como: exploração ilegal de madeira, implantação de monocultivos, pecuária extensiva e construção de hidrelétricas. “O fundo vai proporcionar apoio financeiro de até 10 mil reais para a realização de atividades econômico-produtivas-sustentáveis, como uma estratégia de fortalecimento das organizações locais e de geração de experiências que contribuam para a conservação ambiental”,  afirma Corrêa.

A iniciativa será gerida por um Comitê composto pelo IEB, pelo Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS) e pela Rede das Associações das Escolas Família do Amapá (RAEFAP).  O grupo realizará uma gestão compartilhada do Fundo e estabelecerá as diretrizes estratégicas da iniciativa.

Expectativas

Na expectativa pelo edital, Pedro Ramos, coordenador do CNS/Amapá, trazia um discurso engajado e consciente das problemáticas enfrentadas pelos extrativistas no estado.  Aos 74 anos de idade, Ramos deixa transparecer em cada fala uma experiência de militância ambiental de mais de 50 anos. “A minha expectativa é que o Fundo contribua para a realidade extrativista do Amapá, afim de que vivamos em nosso território com possibilidade de desenvolvimento sustentável, nas dimensões sociais, econômica, ecológica e cultural”, destacou.

A coordenadora da Rede das Associações das Escolas Família do Amapá (Raefap), Conceição Magave, destaca como a iniciativa pode contribuir para a realidade dos jovens do campo: “Temos muitos jovens que terminaram o ensino médio, mas não tem condições de fazer um curso profissionalizante e de manter os seus estudos, muitos precisam apenas de uma oportunidade. E acredito que essa iniciativa do IEB será muito aproveitada por eles, pois contribuirá para a capacitação do jovem ainda no campo”, ressaltou.

 Representando o Instituto Estadual de Florestas do Amapá (IEF), Rafaela Damasceno, pontuou o fortalecimento das organizações comunitárias como um dos maiores benefícios do Fundo: “Por meio da gestão desse recurso, as organizações vão ter a oportunidade de trabalhar coletivamente, e isso pode gerar não apenas um retorno financeiro, mas principalmente o fortalecimento dessas comunidades”, afirmou.

Inscrições

O Fundo de apoio a pequenos projetos socioambientais está com as inscrições abertas até o dia 30 de abril de 2015, as organizações e grupos interessados em participar da iniciativa devem seguir as instruções do edital e enviar as inscrições para os emails franciara@iieb.org.br; ruth@iieb.org.br. Para mais informações, ligue para (91) 41417816/ (91)3229363. 

ACESSE O EDITAL

 







Comentários