Indígenas inauguram Casa de Reunião com apoio do Fortis Br 319

O povo Paumari da Aldeia Morada Nova, da TI Paumari do Marahã, em Lábrea/AM está dando um exemplo de organização social.

O povo Paumari da Aldeia Morada Nova, da TI Paumari do Marahã, em Lábrea/AM está dando um exemplo de organização social. Com recursos do Fundo de Pequenos Apoios do projeto Fortis 319, construíram a casa de reuniões da comunidade. O IEB participou neste sábado, 19/11, do evento de inauguração do novo equipamento comunitário.

Conforme observou o assistente de campo da instituição, Marcelo Horta Messias Franco, “os indígenas seguiram à risca o cronograma do projeto e trabalharam na filosofia do Fundo: com um pequeno apoio fizeram um grande empreendimento e envolveram todo povo”. A aldeia Morada Nova construiu a casa por meio da modalidade Piaba (até R$ 5 mil).

O próximo desafio da comunidade Morada Nova, segundo apurou Marcelo, é um poço artesiano, “que trará dignidade há mais de 200 indígenas moradores da aldeia”, ilustrou o assistente de campo.

Também participou do evento a presidente da Associação de Mulheres Indigenas do Medio Purus (AMIMP), Socorro Pinheiro de Carvalho Apurinã; o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena (CONDISI), Joao Nery Pantoja; o indigenista da Operaçao Amazonia Nativa (Opan), Luiz Fernandes; e o presidente da Associação dos Produtores Agroextrativistas Indígenas do Caititu (ACAIC), entidade que realizou o repasse do projeto, João Batista Apurinã, mais conhecido como João Baiano.

Piaba e Tambaqui

O Fundo de Pequenos Apoios é um dos componentes do Projeto BR 319 do IEB, financiado pela Fundação Moore e destinado a apoiar iniciativas de organização comunitária dentro e no entorno das unidades de conservação localizadas na área de influência da BR 319. O total de recursos destinados ao Fundo, entre 2010 e 2012 é de R$ 350 mil. Em 2010 o IEB recebeu 25 projetos em resposta ao 1º Edital, dos quais 13 foram aprovados pela Câmara Técnica e muitos já estão concluídos.

Desde o início da implantação do Fundo, o Comitê Executivo decidiu que seria melhor ter duas categorias de projeto: o Piaba para contemplar ações rápidas (seis meses) e de baixo custo; e o Tambaqui, de até R$ 25 mil, longo prazo (até 18 meses) e mais estruturante.








Comentários