Lábrea: Princesinha do Purus recebe os participantes do III Encontro Regional do Fortis

Lábrea: Princesinha do Purus recebe os participantes do III Encontro Regional do Fortis Pelo rio ou pela estrada, os mais de 150 participantes do III Encontro Regional do Consórcio Fortis – Fortalecimento Institucional do Sul do Amazonas começam a mudar a

Pelo rio ou pela estrada, os mais de 150 participantes do III Encontro Regional do Consórcio Fortis – Fortalecimento Institucional do Sul do Amazonas começam a mudar a paisagem da cidade que, tradicionalmente no período do inverno tem as margens alagadas pelo Rio Purus, e no restante do ano, as palafitas dão espaço às famosas prainhas e às plantações que sustentam grande parte da vida ribeirinha. Lábrea foi escolhida para sediar o encontro e finalizar o projeto Fortis por ter sob jurisdição a Resex Ituxi – publicação da história da reserva será lançada na abertura. Anteriormente, o encontro aconteceu nas cidades de Humaitá (2008) e Manicoré (2009). Programado para acontecer em 3,5 anos, o projeto Fortis encerra as atividades com um grande evento de avaliação que tem como principal objetivo realizar um balanço com as experiências bem sucedidas no sul do estado do Amazonas.

Responsável por trazer os participantes de Manicoré/AM, a assistente de campo do IEB da região, Roberta Amaral, saiu de Novo Aripuanã/AM, que fica às margens do Rio Madeira, acompanhada de quatro comunitários, no sábado (26/06). Após cinco horas de estrada para chegar a Manicoré e pegar mais oito participantes, ao todo, os 12 integrantes fizeram oito horas de lancha, 12 de barco e 13 horas de estrada, sendo que nas últimas sete somaram ao ônibus que, via Transamazônica, trouxe o grupo de Humaitá. Responsáveis pela equipe de Humaitá, os assistentes de campo do IEB, Doney Vitor e Aurélio Diaz, acompanham um grupo de áreas de várzea, indígenas, assentamento e Unidades de Conservação (UCs).

Organizados pelos técnicos do IEB da região de Lábrea, que margeia o Rio Purus, Marcelo Messias e Joedson, participam comunitários da Reserva Extrativista (Resex) Médio Purus; durou três dias a viagem de barco da comunidade Vila Limeira, no rio Seruiní, próximo a cidade de Pauiní/AM, até o local do encontro. Da Resex Ituxi foram dois dias de barco descendo o Purus e, do município de Canutama, seis horas de voadeira rio acima.

Conhecida como a princesinha do Purus, às margens do rio, foi no áureo ciclo da borracha que Lábrea cresceu e se desenvolveu. Hoje com 40 mil habitantes, a cidade tem como principais atividades econômicas o comércio, o serviço público, a pesca, a agricultura e o extrativismo. Para celebrar o auge do verão, a Festa do Sol, que acontece no final de agosto de todos os anos, recebe mais de 10 mil pessoas de todas as regiões do país.
O consórcio FORTIS é formado pelas organizações IEB, Kanindé, ACT Brasil, Conservação Estratégica (CSF) e Imazon.

Coquetel de abertura:

Na abertura oficial do encontro, o IEB e a APADRIT lançam a publicação Memorial da luta pela Reserva Extrativista do Ituxi em Lábrea/AM que registra a mobilização social, organização comunitária e conquista da cidadania na Amazônia. A obra, organizada pelo doutor em sociologia pela UFRJ e consultor do Instituto, Josinaldo Aleixo, é de autoria coletiva da Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembléia de Deus do Rio Ituxi (Apadrit) e representa um esforço de reflexão e de registro histórico de uma experiência social vivida intensamente no interior da Amazônia brasileira: a mobilização de comunidades ribeirinhas em favor da criação da Reserva Extrativista do Rio Ituxi. Na ocasião será apresentado o Álbum Purus, organizado pelo professor do Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal do Amazonas (PPGAS-UFAM), Gilton Mendes dos Santos. O evento cultural também irá lançar o livro de poesias Versos de Sangue e Multicores, de autoria do poeta Elias Bezerra de Souza, pelo Grupo Editorial Scortecci.







Comentários