Lideranças discutem plano de trabalho para suas comunidades

O segundo encontro do Programa Liderar foi uma oportunidade para amadurecer as ideias dos participantes

A turma de 2015 do Programa Liderar – desenvolvimento de lideranças na Amazônia – se reuniu no Centro Cultural de Brasília (CCB) de 18 a 26 de julho para o segundo encontro formativo. Nessa etapa do programa as lideranças construíram seus planos de trabalho com base nas atividades que desenvolveram em suas comunidades no período de dispersão. “Esse encontro serviu para aprimorar nossos conhecimentos e ideias. Agora vou voltar para a minha comunidade com a mente mais aberta”, afirmou Arlan Alves, liderança da Floresta Nacional do Tapajós, Pará.

As lideranças têm até o próximo encontro para executar as atividades propostas nos planos. Nesse encontro eles aprenderam a trabalhar com ferramentas de planejamento como fofa, mapa de atores, e mapa de relações. “Conhecer essas ferramentas foi muito importante porque eu não tinha noção de como iniciar o trabalho. Eu já estou levando o meu plano elaborado e já tenho um ponto de partida”, contou Dilva Araújo, liderança da comunidade de Repartimento dos Pilões, em Almeirim, Pará.  

O segundo encontro contou também com a participação de seis jovens lideranças de comunidades quilombolas e rurais da região do Sítio Histórico Kalunga, no entorno do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, onde o IEB executa o Projeto Chapada. Foi uma oportunidade de intercâmbio entre os dois projetos do IEB, visando favorecer a troca de experiências entre essas lideranças do Cerrado e da Amazônia.

Durante a semana em Brasília, as lideranças visitaram a Fundação Nacional do Índio (Funai), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), com o objetivo de conhecer a atuação desses órgãos da administração pública federal na execução de políticas públicas de interesse das comunidades onde vivem.

No dia 22 julho foi realizada a Feira Cultural do Programa Liderar onde os participantes mostraram seu artesanato, produtos agroextrativistas e da sociobiodiversidade da agricultura familiar, indígena, ribeirinha e quilombola. “É a primeira vez que exponho os produtos da minha etnia e é muito importante valorizar a nossa cultura”, disse Douglas Apurinã, liderança indígena da Aldeia Katispero, Terra Indígena Camicuã, Boca do Acre, Amazonas.

A feira contou ainda com a apresentação cultural da dança tradicional dos quilombolas Kalunga, a sussa. Na ocasião, o IEB também lançou o livro “Fórum Diálogo Amazonas: regularização fundiária urgente!” e o documentário “Resex Ituxi e Médio Purus – Da conquista da terra ao desafio da gestão participativa”. Circularam pelo evento cerca de cem pessoas que apreciaram e adquiriram os produtos trazidos pelos participantes.

O próximo encontro será em novembro. “A principal expectativa é que eles concluam e avancem com a implementação dos seus planos de trabalho e apresentem os resultados parciais dos mesmos para os demais participantes e convidados externos”, explicou Henyo Barretto, coordenador pedagógico do programa. Para a coordenadora geral do Liderar, Camila de Castro, “já é possível observar avanços muito positivos na postura das lideranças desse grupo e isso naturalmente se refletiu na qualidade da construção dos planos de trabalho”.







Comentários