Mil Folhas apresenta o conselho inspirador

Membros se reúnem para discutir estratégias e propostas para o selo editorial

O selo editorial Mil Folhas do IEB reuniu no dia 5 de maio os sete especialistas escolhidos para a composição do conselho inspirador. Eles tiveram a oportunidade conhecer as propostas de divulgação e de estratégias do selo para este ano. O conselho será presidido por Nurit Bensusan, organizadora do livro “A diversidade cabe na unidade? Áreas protegidas no Brasil”, lançado no ano passado pelo Mil Folhas. “Os membros do conselho são pessoas ligadas ao mercado editorial, área de comunicação e a questões técnicas que irão ajudar nos assuntos temáticos”, afirmou Maria José Gontijo, diretora executiva do IEB.

Com mais de 50 publicações lançadas o IEB se prepara para um novo desafio: publicar livros de literatura infanto-juvenil com a temática socioambiental. Será lançado também neste ano três livros no formato eBook: Associação é para fazer juntos, Os novos desafios da política ambiental brasileira e A diversidade cabe na unidade? Áreas protegidas no Brasil. Para Nurit Bensusan, “esse é um marco e um momento muito especial. É a oportunidade de conseguir ver a realização de um sonho”.

Conheça o perfil dos membros do conselho editorial:

nurit.jpg

Nurit Bensusan se equilibra entre o trabalho com conservação da biodiversidade na sociedade civil e as atividades ligadas ao engajamento da sociedade na agenda de ciência e tecnologia. É bióloga e engenheira florestal, com mestrado em Ecologia e doutorado em Educação. É autora, entre outros, dos livros “Conservação da biodiversidade em áreas protegidas”, publicado pela Editora Fundação Getúlio Vargas e “Meio Ambiente: e eu com isso?”, publicado pela Editora Peirópolis. Assina o blog “Nosso Planeta”, no Globo on line, faz parte do coletivo de ideias Biotrix e desenvolveu jogos com temas biológicos na Biolúdica. Seu livro para crianças, Labirintos – Parques Nacionais, ganhou o prêmio Malba Tahan da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil, em 2013.

joapaulo.jpg

João Paulo Viana é graduado em Ciências Biológicas e Mestre em Ecologia pela Universidade de Brasília, Ph.D. em Pesca e Ciências Aquáticas pela Universidade da Flórida, Gainesville, EUA. Trabalhou como gerente de projeto para o Ministério do Meio Ambiente, tendo como principal atribuição coordenar a preparação e o início da execução do projeto Manejo Integrado dos Recursos Aquáticos na Amazônia - Aquabio, que tinha como objetivo apoiar a introdução de uma abordagem participativa de gestão integrada para a conservação e uso sustentável da biodiversidade aquática nas políticas públicas e programas focados na Bacia Amazônica. Anteriormente (1997-2002), foi coordenador do Núcleo de Manejo de Pesca do Projeto Mamirauá, em Tefé/Amazonas, iniciativa apoiada pelo então Ministério da Ciência e Tecnologia e pelo Department for International Development (DFID) do Reino Unido, que tinha por objetivo a conservação das várzeas amazônicas com a participação das comunidades locais. Desde 2009 é pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em Brasília, e seus principais interesses de pesquisa são a conservação da biodiversidade, o uso sustentável dos recursos naturais, e os impactos ambientais de projetos de desenvolvimento.

marialuiza.jpg

Maria Luiza Gastal é bióloga com mestrado em Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado em Ecologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília, no Núcleo de Educação Científica do Instituto de Ciências Biológicas - NECBIO, trabalhando com formação de professores de ciências e biologia. Atua principalmente nos seguintes temas: uso de cinema no ensino de ciências, história e filosofia da ciência no ensino de ciências e narrativas autobiográficas e saber da experiência na formação de professores.

ulisses.jpg

Ulisses Lacava Bigaton é jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB), com mestrado em Comunicação de Massa pela Universidade de Leicester, Reino Unido, e especialização em Divulgação Científica pela UnB. Com 30 anos de experiência profissional, já atuou na imprensa escrita, televisão e assessoria de comunicação para organizações do Terceiro Setor e agências da ONU, tendo organizado, editado ou publicado vários títulos nas áreas de comunicação, direitos humanos ou meio ambiente. Trabalhou como jornalista econômico (Correio Braziliense e Folha de S.Paulo), editor de texto para TV (Jornal da Bandeirantes), produtor e roteirista de vídeos documentários sobre ciência e meio ambiente. Desde 1993 dedica-se à comunicação para projetos da sociedade civil e organizações não-governamentais, como o Conselho do Comunidade Solidária e WWF-Brasil. Foi coordenador executivo da Rede ANDI América Latina, presente em 12 países latino-americanos. Nas Nações Unidas, trabalhou para a UNESCO e para o UNFPA (Fundo de População das Nações Unidas). Atualmente é diretor de Comunicação e Campanhas da Oceana Brasil, maior organização dedicada ao ordenamento pesqueiro e manejo sustentável dos recursos marinhos.

iris.jpg

Iris Borges nasceu em Coromandel, MG. Vive em Brasília desde 1970. É professora, psicóloga, livreira, agente literária, curadora de festas literárias, como a Flipiri, e escritora. Seus destinos turísticos são destinos literários: onde estiver acontecendo uma bienal ou feira de livros, ou ainda uma festa literária, é para lá que ela gosta de ir, quer conviver com escritores, ilustradores, editores. Gosta de promover a literatura que é produzida em Brasília, especialmente os escritores do Instituto Casa de Autores, da qual é presidente. Realiza eventos literários, palestras e oficinas com alto grau de comprometimento com a causa do livro e da leitura. É diretora da Associação Nacional de Livrarias. Vive numa casa rodeada de verde, onde recebe filhos e netos para almoço aos domingos.

helio.jpg

Helio Hara é pós-graduado em jornalismo pela University of Wales, College of Cardiff. É responsável hoje pela comunicação e marketing do Funbio - Fundo Brasileiro para a Biodiversidade. Já esteve à frente da comunicação institucional do WWF-Brasil. Há mais de dez anos, edita com o fotógrafo Bob Wolfenson a publicação de fotografia e arte s/n. No mercado editorial, dirigiu a área de comunicação e marketing da Editora Cosac Naify, em São Paulo. Como criador para suporte impresso, digital e filme, produziu conteúdos para exposições, publicações e peças de branded content para clientes como Unilever, Heineken e Puma, entre outros.

cloude.jpg

Cloude de Souza Correia possui doutorado em antropologia pelo PPGAS/UnB, concentrando-se nas áreas de antropologia ecológica, sociedades complexas, relações interétnicas e cartografia social. Tem atuado principalmente com os seguintes temas: povos indígenas, mapeamentos participativos, unidades de conservação, conflitos socioambientais e processos fundiários. Atualmente é Coordenador do Programa Povos Indígenas do IEB que tem voltado suas ações principalmente para processos de formação e capacitação, fortalecimento institucional e gestão territorial de terras indígenas.







Comentários