Nova associação comunitária na Resex de Canutama elege diretoria

Mais de 300 pessoas participaram, no sábado 10 de setembro, da fundação da Associação dos Agroextrativistas da Reserva de Canutama (ASARC).

Mais de 300 pessoas participaram, no sábado 10 de setembro, da fundação da Associação dos Agroextrativistas da Reserva de Canutama (ASARC), que agrega as comunidades extrativistas locais. Os presentes também elegeram o conselho fiscal da associação, por um mandato de dois anos, conforme aprovado no estatuto da entidade. Eleito na assembléia geral, o presidente Raimundo Nonato da Silva, residente da comunidade Nova Vista, ficará no mandato por três anos, conforme o registro na ata do encontro.
A programação da I Assembléia Eletiva da ASARC, que durou o dia inteiro, iniciou com a leitura e aprovação do Estatuto Social, seguido da formação, apresentação das chapas concorrentes e finalizando com a eleição da diretoria.

A equipe do IEB do escritório de Lábrea, composta pelos assistentes de campo Marcelo Horta, Joedson Quintino e o consultor Josinaldo Aleixo, acompanhou todo o encontro, resultado de um trabalho de mais de dois anos junto à população residente na Reservas Extrativistas (Resex) de Canutama. A criação de uma nova associação representativa dos moradores/as da Resex é um ponto culminante deste longo trabalho. Um papel fundamental nesse processo foi o da comissão de lideranças das unidades de conservação estaduais que foram responsáveis pelo trabalho de organização formal da nova associação. O evento, neste sentido, foi de grande importância na vida comunitária da região e motivo de esperança e orgulho para todos.

Para chegar até o local da reunião, na comunidade do Carmo, a equipe levou duas horas e meia rio Purus abaixo numa voadeira motor 90 HP. O grupo estava reforçado por alguns alunos do curso de licenciatura em biologia da Universidade do Estado do Amazonas (Campus Lábrea/AM) e pelos companheiros de luta das Resex Federais da região de Lábrea, Benedito Clemente e José Maria II, pela Resex Médio Purus e Silvério Maciel e Irmão Chicão, membros da diretoria da Associação dos Produtores Agroextrativistas da Assembléia de Deus do Rio Ituxi (APADRIT), da Resex Ituxi. Também participaram dessa caminhada diversas organizações locais: Comissão Pastoral da Terra (CPT), Centro Estadual de Unidades de Conservação (CEUC), secretarias municipais de meio ambiente e produção e do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas (IDAM), entre outras. O IEB vem apoiando o fortalecimento institucional dessa rede de parceiros e das próprias comunidades ribeirinhas.

Criada em março de 2009, a Resex estadual de Canutama tem 197.986 mil hectares. Desde então várias organizações parceiras vem realizando um trabalho de apoio á organização social das comunidades. Isso ocorre com base na mobilização das comunidades, cursos de capacitação, de formação de lideranças e treinamentos específicos em associativismo.

O momento que marca definitivamente o protagonismo do povo extrativista ao se afirmarem donos de seus destinos não poderia ter acontecido sem o apoio da Coordenação Ecumênica de Serviços (CESE) que doou R$ 7,5 mil para a comissão organizadora do evento. Outro destaque foi a participação da Prefeitura Municipal de Canutama, por meio das secretarias municipais de Meio Ambiente e de Produção e Abastecimento além da participação direta do prefeito João Ocivaldo Amorim que prestigiou a atividade.







Comentários