Oficina orienta para cuidados com a qualidade das águas

Na manhã do dia 13 de agosto, 15 pessoas participaram da formação e capacitação dos voluntários que serão responsáveis pelo monitoramento dos corpos d’água na Serrinha do Paranoá.

Na manhã do dia 13 de agosto, na Associação dos Chacareiros do Núcleo Rural do Córrego Jerivá (ASCAJE), em Brasília/DF, 15 pessoas participaram da formação e capacitação dos voluntários que serão responsáveis pelo monitoramento dos corpos d’água na Serrinha do Paranoá.

A capacitação abordou uma discussão geral sobre a situação dos recursos hídricos no Brasil e aprofundou conhecimentos sobre a utilização do kit de monitoramento colorimétrico, que são parâmetros químicos e físicos que auxiliam na avaliação da qualidade das águas dos córregos na região. A atividade também foi estruturada para um intercâmbio de experiências bem articulado entre os voluntários.

Participaram da ação voluntários para o monitoramento da qualidade da água nos córregos Torto, Urubu, Sagüi, Palha, Jerivá, Taquari (Serrinha do Paranoá) e interessados em conhecer a metodologia de monitoramento da qualidade das águas. A oficina foi ministrada por Moema Morgado, mestranda na área de monitoramento da qualidade das águas da Universidade de Brasília. Na primeira parte da oficina os participantes conheceram os temas gestão das águas no Brasil, bacias hidrográficas e sobre os parâmetros de qualidade de água. Ao final todos foram até uma das nascentes do Córrego Jerivá realizar o monitoramento da qualidade da água.

No Distrito Federal, o Movimento CYAN iniciou o Projeto de Recuperação de Bacias, clique aqui e entenda o projeto bacias, adotando como piloto e laboratório de testes a bacia hidrográfica dos rios Paranoá e Corumbá. A proposta é levar melhorias aos recursos hídricos que abastecem as 34 fábricas da Ambev no Brasil. Além do Movimento CYAN e IEB, são parceiros o WWF Brasil, o CRAD-Unb, a Faculdade JK e o Comitê de Bacia do Paranoá.







Comentários