Oficinas dão início ao programa de fortalecimento do sul do Amazonas

Realizadas entre os meses de maio a abril, as oficinas de confluência tiveram o objetivo de cruzar as agendas da sociedade civil com o poder público local.

Por meio de seu mais novo programa dedicado ao fortalecimento institucional, o IEB pretende integrar agendas entre a sociedade civil e o poder público. O Programa de Desenvolvimento Local Sustentável (PDLS), com o apoio financeiro do Fundo Vale, pretende fortalecer as capacidades dos poderes públicos municipais e das organizações da sociedade civil. A proposta é a construção, de forma participativa, envolvendo todas as comunidades dos seis municípios beneficiados: Novo Aripuanã, Manicoré, Humaitá, Boca do Acre, Lábrea e Canutama, localizados no sul do Amazonas.

Com início em janeiro de 2011, o primeiro semestre foi dedicado ao diagnóstico e planejamento das ações que serão implementadas ao longo dos próximos três anos. Realizadas paralelamente nos seis municípios de atuação, entre os meses de maio e abril, as oficinas de confluência tiveram como objetivo cruzar as agendas da sociedade civil com o poder público local.

“O trabalho foi iniciado com uma avaliação de cada gestão municipal e o IEB contratou consultores que realizaram o diagnóstico das prefeituras; uma dupla no rio Madeira e outra no Purus”, explicou a especialista em assuntos indígenas do IEB, Andréia Bavaresco, que participou das oficinas. “Os prefeitos se disponibilizaram a participar do projeto e se responsabilizaram em assinar um termo de compromisso com o IEB para execução das atividades”, acrescentou.

Foram quatro dias de intenso trabalho, onde o primeiro foi com o poder público (secretários e prefeito) e o segundo com a sociedade civil e as instituições parceiras do IEB nos municípios. Nos dois últimos dias, os técnicos organizaram, de forma participativa, os temas de interesse para realizar o cruzamento das agendas.
“Agora a fase é de consolidação dos planos de trabalho que saíram das seis oficinas, pois, muitas ações foram as mesmas em vários municípios. Esclareceu Andréia.

Fortalecimento do poder público e desmatamento

O PDLS é uma resposta ao trabalho desenvolvido pelo IEB e parceiros ao longo de cinco anos de atuação no sul do estado do Amazonas, onde foram atendidas 65 organizações comunitárias com apoio em assessoria técnica, cursos de capacitação e oficinas de trabalho. Mais de 4,5 mil pessoas passaram por capacitação sobre manejo de recursos naturais, associativismo, legislação ambiental e gestão territorial para comunidades tradicionais, povos indígenas e moradores de unidades de conservação, onde 246 pessoas fizeram intercâmbios de experiências em outras regiões da Amazônia, seis conselhos gestores de Unidades de Conservação (UCs) tiveram apoio com capacitação e assessoria especializada e sete UCs estaduais e federais receberam apoio para gestão participativa e capacitação de lideranças e técnicos. No total, mais de três milhões de hectares de floresta foram beneficiados, contando o potencial e a extensão das ações em toda a região do sul do estado do Amazonas.

clique aqui e saima mais sobre o PDLS?







Comentários