Preservação dos quelônios

IEB lança livro sobre o projeto de preservação das tartarugas do Rio Ituxi, em Lábrea

O Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) lança no próximo dia 5 de dezembro o livro Preservar para viver: a experiência da preservação de quelônios no Rio Ituxi em Lábrea (AM). O livro conta a história do Projeto Preservida, uma iniciativa dos comunitários que vivem na Reserva Extrativista do Rio Ituxi, em Lábrea, no sul do Amazonas.

O Rio Ituxi é o berço de várias espécies de bichos de casco, como são conhecidos na Amazônia o grupo de répteis chamado de quelônios. Esses animais fazem parte da alimentação das populações tradicionais da região, mas também são utilizados para o uso medicinal, doméstico e em cosméticos. Sofreram uma forte exploração por conta da comercialização e quase desapareceram, principalmente, a espécie tracajá.

Com depoimentos dos moradores do Rio Ituxi, o livro conta a história de luta da população para que as próximas gerações ainda tenham a oportunidade de ver as tartarugas da Amazônia no rio. Seu Américo Teixeira começou a proteger os tabuleiros, praias que são locais de desova dos quelônios, em 2008.

Nos primeiros quatro anos foram contabilizados mais de 8 mil quelônios. Depois do projeto, foram vistos em lugares onde não se via mais os tracajás. Silvério Maciel, um dos moradores do Ituxi, que também aderiu ao projeto, espalha pelas comunidades a sua mensagem: “Preserve, pense no dia de amanhã.  Não pense em você, pense na geração nova que precisa ver o bicho de casco”.

 







Comentários