Programa de desenvolvimento do sul do Amazonas prevê a integração entre sociedade civil e poderes públicos locais

o PDL pretende fortalecer as capacidades dos poderes públicos municipais e das organizações da sociedade civil.

Com a missão de apoiar e fortalecer associações comunitárias que enfrentam problemas com a agropecuária e o desmatamento no sul do estado do Amazonas, o IEB iniciou em março de 2011, o Programa de Desenvolvimento Local (PDL). Com a previsão de durar três anos, o programa é dividido em duas fases de um ano e meio cada, separadas por um processo de avaliação e re-planejamento das atividades em cada área de atuação. Com o apoio financeiro do Fundo Vale, o PDL pretende fortalecer as capacidades dos poderes públicos municipais e das organizações da sociedade civil. A proposta é a construção de forma participativa, envolvendo toda a comunidade atingida, em cada município.

Nos últimos anos, em razão do avanço da fronteira agropecuária e da exploração madeireira, a região sul do Amazonas vem sofrendo com o aumento das taxas de desmatamento.

A principal estratégia do PDL é unir as ações desenvolvidas pelas organizações locais em parceria com as prefeituras, no estado e no governo federal. E, com a participação de todos os envolvidos, realizar e implementar programas e projetos de apoio às organizações e associações.

O PDL atua em seis municípios: Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã, Canutama, Lábrea e Boca do Acre. Dentro das atividades desenvolvidas destacam-se ações de capacitação, treinamento, assessorias especializadas e consultorias orientadas por planos de trabalho construídos com a participação da comunidade.

Para tanto, a estratégia do IEB é de mobilizar parte de sua equipe de assessores em fortalecimento institucional e consultores especializados para a realização das atividades do programa. Dentre os objetivos do PDL, os principais são o fortalecimento dos poderes públicos municipais para a formulação, gestão e implementação de políticas públicas, programas e projetos voltados para a conservação ambiental e o desenvolvimento local sustentável; fortalecer a sociedade civil local para construir parcerias com os órgãos públicos e ter maior transparência na formulação, gestão e implementação de políticas públicas, programas e projetos de desenvolvimento local sustentável e integrar as agendas do poder público municipal e sociedade civil local.

O IEB
O enfoque de fortalecimento institucional adotado pelo IEB busca estabelecer pontes entre a conservação dos recursos naturais e as dimensões econômicas, sociais e culturais da sustentabilidade, além de fortalecer as comunidades locais e desenvolver a base social com legitimidade, transparência e credibilidade, reforçando a governança e a ação conjunta das organizações da sociedade civil. Isso possibilitou ao Instituto desenvolver uma reconhecida “expertise” em processos de articulação entre setores que, historicamente têm tido dificuldade de aproximação e diálogo.

Os programas e projetos da instituição atendem a um público diverso de atores sociais envolvidos com a sustentabilidade: comunidades extrativistas, assentados, pequenos produtores rurais, populações indígenas, profissionais e estudantes da área ambiental.







Comentários