Projeto reúne poder público e sociedade civil para discutir a redução do desmatamento

No dia 29 de abril o Centro de Formação Nazaré, em São Félix do Xingu (PA), foi o local de lançamento da segunda etapa do projeto Xingu Ambiente Sustentável (XAS).

No dia 29 de abril o Centro de Formação Nazaré, em São Félix do Xingu (PA), foi o local de lançamento da segunda etapa do projeto Xingu Ambiente Sustentável (XAS). O evento teve a participação do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e reuniu um público de cerca de cem pessoas, representando órgãos do governo (federal, estadual e municipal) e sociedade civil (Associações, ONGs, Sindicatos, etc.), que compartilharam informações e experiências para ajudar São Felix do Xingu a sair da lista de munícipios que mais desmatam na Amazônia.

Xingu Ambiente Sustentável

A segunda etapa do projeto Xingu Ambiente Sustentável é uma realização do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Alto Xingu (Adafax), com o apoio do Fundo Vale. Suas ações estarão voltadas a redução do desmatamento por meio do fortalecimento de organizações ligadas, principalmente, ao pequeno e médio produtor. Entre as ações previstas no projeto estão: cursos e oficinas; bolsas de estudo a estudantes para a realização de atividades socioambientais; promoção de reuniões entre sociedade civil e governo; e assessoria técnica voltada para o desenvolvimento de modelos de produção sustentável.

“Produzir sim, desmatar não”

Entre os palestrantes do lançamento estava Mauro Lúcio, presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas, município que em março de 2010 saiu da lista de desmatamento do MMA. Em sua apresentação ele relatou as possibilidades de produzir em terrenos já degradados, fator que pode ser um diferencial para o mercado, visto que a técnica não desmataria novas áreas, “Vamos mostrar para o mundo que o nosso produto é diferente, pois temos floresta”, disse Mauro Lúcio. Para atingir essa meta, ele explicou que é necessário os produtores estarem unidos e legalizados para cobrar do governo apoio técnico, estrutura e capacitação. Mauro Lúcio concluiu sua apresentação com uma mensagem clara aos representantes do poder público, “Queremos produzir sim, mas desmatar não”.

Também integraram a programação o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), que explicou o mapa do desmatamento na região; a ONG TNC, que fez um relato sobre a importância do Cadastro Ambiental Rural e a Adafax que trabalha com alternativas de produção sustentável, voltadas a agricultura familiar.

MMA

Em São Félix do Xingu há uma série de projetos ambientais sendo desenvolvidos. Dentre eles está o Pacto Municipal para a Redução do Desmatamento, administrado pelo Ministério do Meio Ambiente, que no evento foi representado por Carla Leal. As ações do MMA pretendem reduzir os índices de devastação de forma participativa, “Queremos reunir todos os atores relevantes no município para que juntos sentem e definam o que deve ser feito”. Nesse caso, estarão envolvidos no debate órgãos do governo (federal, estadual e municipal), produtores rurais e sociedade civil. Sobre o projeto XAS, Carla ressalta que ele é “fundamental para construção do ‘Pacto’, tendo em vista que o projeto traz em sua execução experiências metodológicas que auxiliam a construção de espaços públicos socioambientais” que, semelhante ao lançamento do projeto, debatem o desmatamento a partir de diferentes abordagens e vivências dos participantes, trazendo a tona não somente soluções, mas também os desafios para superar os problemas.

clique aqui para acessar a galeria de fotos







Comentários