Resex Médio Purus conquista três bibliotecas rurais pelo Programa Arca das Letras

Ocorreu na terça feira, dia 03 de abril, no auditório da UEA em Lábrea, uma importante solenidade para os moradores da Reserva Extrativista do Médio Purus, quando as comunidades Santa Fé, Realeza e Sepati Velho foram contempladas com uma “arca das letras”

Fonte: blog vasos do purus

Ocorreu na terça feira, dia 03 de abril, no auditório da UEA em Lábrea, uma importante solenidade para os moradores da Reserva Extrativista do Médio Purus, quando as comunidades Santa Fé, Realeza e Sepati Velho foram contempladas com uma “arca das letras”, cada uma.

Na ocasião, a consultora do MDA, D. Celina, capacitou seis moradores das comunidades que a partir de então vão se tornar agentes de leitura para cuidarem das bibliotecas e da circulação dos livros. É a primeira vez que as bibliotecas rurais chegam ao município de Lábrea. É o resultado de uma parceria do MDA com a Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas do Médio Purus (Atamp). “A biblioteca rural Arcas das Letras tem o propósito de contribuir para melhoria da educação no campo e ampliar os índices de leitura na população rural. É comum encontrarmos leitores que leem 20 ou 40 livros por ano nas comunidades rurais. A chegada do projeto Arca das Letras nessas comunidades proporciona alfabetização para todas as idades”, enfatiza a coordenadora nacional do programa e coordenadora geral de ação cultural do MDA, Cleide Soares.

Publicações das Resex Médio Purus e Ituxi

Aproveitando a solenidade de formação dos agentes de leitura , o presidente da ATAMP Sr. José Maria Carneiro de Oliveira, juntamente com o secretário da APADRIT (Resex Ituxi) Eliel Santos, entregaram exemplares das publicações “Memorial da Luta pela Resex Medio Purus” e “Memorial da Luta pela Resex Ituxi”, para a consultora Celina , representando naquele instante o MDA, projeto Arca das Letras. Para as populações das Resex as publicações lançadas no ano de 2011 em Lábrea representam um marco na da história de Lábrea e valorizam a luta das populações tradicionais pela conquista de seus direitos fundamentais. Na opinião da representante do MDA, essa é uma experiência que deve ser divulgada pelas Resex em todo Brasil. As associações garantem que certamente os livros farão parte do acervo das bibliotecas rurais.

O acervo das bibliotecas foi formado especialmente para ajudar estudantes, trabalhadores e trabalhadoras a terem mais acesso a fontes de pesquisas para os estudos, atividades produtivas, preservação ambiental, pesca, lazer e entretenimento perto de suas casas. Segundo o presidente da Atamp, José Maria Carneiro de Oliveira, existe enorme dificuldade para a comunidade obter informações. “As bibliotecas serão de grande importância para suprir as dificuldades de acesso aos livros. O que vai ajudar muito na melhora do ensino escolar”, ressalta. Para o secretário da Atamp, José Maria Ferreira, a maior contribuição das arcas será para os alunos. Ele informa que há cerca de dois anos algumas comunidades do Médio Purus passaram a contar com as turmas do ensino médio, mas a precariedade dos livros dificulta o processo de aprendizagem dos alunos. “Aqui não tem nenhum outro tipo de biblioteca e o acesso à internet é precário”, conta. As comunidades do Médio Purus esperam ansiosas pela implantação das arcas. Segundo José Maria, a apenas um dia da implantação das bibliotecas, todos estão em clima de festa e muito alegres com a nova conquista. “Estamos ansiosos para a chegada dos livros, porque eles vão trazer muitos benefícios para todos”, afirma. As bibliotecas também vão disponibilizar literatura para crianças, jovens e adultos da comunidade, além das histórias em quadrinhos.
Arca das Letras no Amazonas

No estado do Amazonas, o Programa Arca das Letras já funciona em 390 comunidades rurais de 19 municípios. São mais de 31 mil famílias beneficiadas pelo programa. No estado, os municípios, cooperativas, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais e órgãos ambientais atuam como parceiros do MDA e contribuem para a ampliação do número de bibliotecas. É, também, por meio deles que é possível conhecer os livros que as comunidades precisam e têm maior interesse. Ainda este ano, uma parceria com as prefeituras municipais deve promover a chegada de, pelo menos, 180 novas bibliotecas rurais. Desde 2003, o Programa Arca das Letras já implantou em todo o País 8,9 mil bibliotecas rurais em 3.022 municípios. Até o final de março, mais de 2,5 milhões de livros foram distribuídos, beneficiando aproximadamente 1,5 milhão de famílias do campo, dentre agricultores, assentados da reforma agrária, pescadores, quilombolas, indígenas e populações ribeirinhas. O Arca das Letras é uma ação do MDA iniciada em 2003 para incentivar a leitura no campo, por meio da implantação de bibliotecas, da formação de agentes de leitura e da distribuição de acervos adequados a cada necessidade e interesse de comunidades rurais. As comunidades registram seus pedidos de bibliotecas e o MDA articula as parcerias.







Comentários